segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Figura Espiritual

A Figura Espiritual de São José

O Evangelho de Mateus apresenta José como um homem justo:

"Eis como foi o nascimento de Jesus Cristo. Maria, sua mãe, estava prometida a José; ora, antes de que vivessem juntos, ela concebeu pelo poder do Espírito Santo. José, seu esposo, que era um homem justo e não queria difamá-la publicamente, resolveu repudiá-la em segredo." (Mt. 1, 18-19)
A generosidade e a grandeza de José encontram-se reveladas nestas poucas palavras. Mas José foi mais longe no dom de si ao aceitar tornar-se o pai verdadeiro desta criança chamado a salvar a humanidade. Ele serviu dignamente os desígnios de Deus e amou de todo o seu coração este Emanuel, Jesus, Deus-connosco.

Na simplicidade e na discrição

Toda a vida de José, trabalhador manual, originário de um meio modesto, artesão, encarna a santidade da vida quotidiana. Ele é o modelo das pessoas comuns, das pessoas chamadas a realizar a sua vocação de filhos de Deus, dia após dia, na simplicidade e na discrição.

Nas Escrituras, não é citada uma única palavra de José. Os evangelistas mostram-nos um homem que age de acordo com a sua consciência e que obedece às diretrizes do anjo do Senhor. Na vida familiar em Nazaré, ele será guiado pelo cumprimento do dever próprio do seu estado. Ele transmitirá valores de altruísmo e honestidade a Jesus menino, depois adolescente. Por outras palavras, ele fará como milhões de pais, ele procurará educar bem o seu filho para depois o deixar ir à sua vida, chegado o momento. 

Uma vocação fora do comum

José não é um atleta da fé. Nada disso. Mas ele agiu como todos os fiéis do seu tempo, observando as Escrituras, realizando as peregrinações exigidas pela Lei e orando dia a dia. É um santo autêntico, porque ouviu e aceitou o chamamento de Deus para viver uma vocação fora do comum, a de se tornar o pai terreno de Jesus. Ele viveu segundo esta vocação de esposo, de pai, de trabalhador, de boa pessoa. Ele é um justo, uma inspiração e um companheiro para todos os crentes "comuns", todos os que vivem as suas vidas sem fulgor, mas na fidelidade à sua fé e à sua própria vocação. 

Guardião, protetor, apoio

São José sustenta os crentes em muitas dimensões das suas vidas. Com efeito, ele é invocado de muitas maneiras: guardião dos corações puros, esperança dos doentes, consolador dos aflitos, patrono dos moribundos. Também o encontramos como modelo dos trabalhadores, protetor da Igreja, apoio das famílias e terror dos demónios. Estes múltiplos títulos mostram-nos um santo presente no quotidiano, no sofrimento, nos receios e na esperança de quantos o invocam.


No calendário litúrgico São José é festejado:

- a 19 de Março como Esposo da Virgem Maria e padroeiro do Canadá

- a 1 de Maio como patrono dos trabalhadores

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...