quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Oração a São José, modelo e padroeiro dos devotos do Santíssimo Coração de Jesus

Ó! glorioso São José, a bondade
do vosso coração é sem limites e inefável;
generosamente abrem-se as
vossas mãos, ó! nosso amado Pai, aos
dons preciosíssimos da graça celestial,
da qual sois o tesoureiro. Ah!
que nem um só dos vossos servos
possa dizer que vos invocou em vão.
Que todos venham, que todos se
apresentem ante o vosso trono e invoquem
vossa intercessão, a fim de viverem
e morrerem santamente, a vosso
exemplo, nos braços de Jesus e
de Maria Santíssima. Amém.
Ó! São José, modelo e padroeiro
dos devotos do Santíssimo Coração
de Jesus, rogai por nós.


(100 dias de indulgência)

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

São José e Santa Terezinha

A devoção ao Santo Esposo de Maria era tradição na abençoada família de Santa Terezinha do Menino Jesus. Na "História de uma alma" escreveu a Santa: "Desde a mais tenra idade que em minha alma se confundiam o amor de São José com o da Santíssima Virgem".
Em suas poesias tão belas, ao falar da Sagrada Família de Nazaré, com que ternura recorda a humildade, o amor e a dedicação de São José! Zélia Guerin, a piedosa mãe da Santa, devotíssima do Santo Patriarca, a ele confiava todos os negócios e sofrimentos.
Deu aos filhos, os dois meninos que teve, o nome de São José: José Luís e José João Baptista. Ambos voaram para o céu em tenra idade. A esperança de um filho missionário desvaneceu-se. Todavia, continuaram os piedosos esposos a rezar e Nosso Senhor deu-lhes mais que um simples missionário - a Padroeira de todos os Missionários. Aos 2 de Janeiro de 1873 nasceu em Alençon a Terezinha. Pouco depois do Batismo a pequena definha e parece querer seguir o caminho dos anjinhos já partidos para o céu. O médico aconselha a procurar uma boa e sadia ama de leite como última tentativa. Esta ao chegar encontra a criança em lastimoso estado, e abana a cabeça - Pobrezinha! É tarde demais! Já não há mais remédio...
A pequenina lívida, com sinais de agonia.
Zélia subiu ao segundo andar e recolheu ao quarto. Não lhe sobravam mais forças para assistir à agonia de mais uma filhinha, e em tão pouco tempo. Todavia, não se julgou vencida, e ao contemplar a imagem de São José, seu querido protetor de todas as horas, caiu de joelhos e exclamou cheia de confiança: - Meu querido São José, eu não me dou por vencida! Sois o padroeiro das causas desesperadas, valei-me!
Desce. E que alegria inesperada! A criança toma o peito da ama. A felicidade foi momentânea. São José queria experimentar a confiança da sua serva. A Terezinha, após este sinal de vida, cai desfalecida novamente. Nem um sopro de vida. Zélia, banhada em lágrimas, suspirou resignada: Seja feita a vossa vontade, meu Deus! Meu São José eu vos agradeço a morte suave que permitistes ao meu anjinho!
De súbito, com geral estupefação, Terezinha abre os olhos, reanima-se e sorri para a mãe. A agonizante de há poucos minutos estava salva. São José fez o milagre.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Adoráveis orações


Bom São José, eu vos ofereço o meu coração para dá-lo a Jesus!

Poder e eficácia do nome de São José

O nome bendito de José, mil vezes pronunciado por Jesus e Maria na intimidade de trinta anos na casa de Nazaré, nome santificado nos lábios do próprio Deus e da Mãe de Deus, nome querido e cheio de bençãos, não há-de ser poderoso e cheio de eficácia invocado em nossas necessidades e misérias da vida terrena? Os próprios anjos louvam o nome de José. Observa o piedoso Pe. Huguet: Vede como os espíritos angélicos respeitam a santidade e a pureza do nome de José! A primeira vez que o Anjo aparece a São José chama-o: José, filho de David, isto é, chamou-o pela nobreza real a que pertencia.
A Ezequiel diz o Anjo: Levanta-te, Filho do Homem! A Pedro diz: Levanta-te depressa - Escreve o que vês, diz a São João. Só a São José é que o Anjo chama pelo nome próprio e o trata como um príncipe da estirpe de David: - Joseph, fili David. Só São José teve a honra de ver o seu nome junto aos nomes de Jesus e Maria. Depois do nome de Jesus e do nome bendito de Maria, nenhum nome é mais poderoso no céu e na terra. Nome que é o terror do inferno e alegria do céu.
Santa Teresa experimentou o poder e eficácia do nome do Santo Esposo de Maria e afirmava: - Nunca invoquei o nome de São José e deixei de ser atendida. É um nome poderoso para afastar as tentações, inspirar bons pensamentos, salvar-nos nos perigos e ajudar-nos na luta contra o pecado. Não se pode imaginar o poder do nome de São José e quanto Deus nos atende ao invocá-lo!
Santa Gertrudes em suas revelações viu a glória de São José no céu. O glorioso Esposo de Maria num trono de esplendores e ao se pronunciar o seu nome os Anjos e os Santos se inclinavam.
Maria Santíssima para dar uma prova de amor ao beato Herman, o angélico menino da ordem Premonstratense, muda-lhe o nome para o de José. A Santa Margarida de Cortona recomenda Nosso Senhor que não passe um só dia sem invocar o nome de seu Pai Adotivo. Pois se é tão grande e honrado pelo próprio Deus e por Maria o nome de São José, como não há-de ser poderoso invocado por nós com muita confiança e devoção!
O nome de São José tem um poder singular para excitar a nossa fé, afugentando as tentações, e nos valer em nossas necessidades. Nunca o separemos dos nomes de Jesus e Maria.


Pe. Ascânio Brandão

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

O nome de São José

O nome de São José no Evangelho

Na Sagrada Escritura os nomes têm um sentido profundo e belo, traduzem a Missão de quem o possui. O teu nome, diz o senhor a Abraão, não será mais Abrão mas Abraão, porque eu te destinei a ser pai de muitos povos.
A Jacob diz: - O teu nome não mais será Jacob, mas Israel, porque se contra Deus foste forte quanto mais serás contra os homens.
A Simão diz Jesus quando lhe confia a missão de Chefe da sua Igreja: Tu és Pedro e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja.
O nome traduz uma missão, não é imposto arbitrariamente. O filho de Jacob fora chamado José. José, diz a Escritura, filho que cresce, filho que cresce e de formoso aspeto.
José, diz São Jerónimo, quer dizer acréscimo, aumento. Ora, a significação deste nome, comenta Santo Alberto Magno, convém àquele que pelas relações com Deus foi elevado acima de todos e pela união com Maria Mãe de Deus e pela paternidade adotiva de Jesus, cresceu, elevou-se mais que todos os mortais. O nome de São José vem repetido muitas vezes no Evangelho. E tal repetição, observa ainda Santo Alberto Magno, indica um desígnio particular da Divina Providência. Deus quer esclarecer e evidenciar a justiça santíssima de São José, escrevendo o seu nome muitas vezes no Evangelho, o Livro da Vida. Quer provar que aquele homem escolhido para esposo de Maria não era desconhecido e quer eternizar a memória do que foi considerado Pai do próprio Deus.
Pode afirmar-se, pois, escreve São Boaventura, que o louvor de São José está no Evangelho. É um nome glorificado pelo Espírito Santo. Nome que veio do céu, nome bendito e inseparável dos santíssimos nomes de Jesus e Maria. Vede como o repetem os evangelistas: José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo. Estando Maria já desposada com José - Mas José seu esposo como era justo - José, filho de David não temas receber Maria por tua esposa - E despertando José do sono - Eis que apareceu em sonhos a José - O anjo do Senhor apareceu em sonhos a José dizendo: - levanta-te, toma o Menino e sua Mãe.
São Lucas: - A uma virgem desposada com um homem chamado José da casa de David - E também José subiu da Galileia da cidade de Nazaré à cidade de Belém.
E o julgavam filho de José.
E São João: - Não é ele aquele Jesus filho de José?
Vede quantas vezes repete o Evangelho o nome de José. Não é um nome celeste e cheio de bençãos?


Pe. Ascânio Brandão

quarta-feira, 26 de julho de 2017

A mensagem de São José

Num dos quarteirões de Paris residia uma família dotada de alguma fortuna. Um casal e a filha chamada Josefina. Viviam felizes, em prosperidade de negócios. Nada lhes faltava. Imprevidentes, gastavam quanto iam recebendo, sem economias para o futuro e sem cuidado na aplicação das rendas. Um dia caiu enfermo o chefe da casa e maus negócios levaram-nos rapidamente a uma extrema miséria. Deixaram o palacete confortável obrigados pelos credores e foram estabelecer-se em pobre mansarda num dos subúrbios longínquos da grande cidade. Os pobres velhos choravam abatidos e desanimados. Josefina, porém, não perdia a calma e o sorriso habituais. Era boa costureira e bordava com perfeição. Procurava trabalho e dia e noite não descansava. Saía cada tarde a entregar as peças e com o dinheiro recebido comprava o necessário para a casa. Muita vez, no entanto, pobrezinha, voltava de mãos vazias: passavam alguns dias sem alimento suficiente. Resolve procurar uma colocação onde possa contar com ordenado certo cada mês e com trabalho extraordinário e noturno, dar algum conforto aos pais. Entregou a sua causa a São José. O tempo vai passando. Sempre aquela vida atribulada e incerta, semeada de lágrimas, não raro de alguma fome. Aproximava-se a festa do Patrocínio de São José. A moça piedosa e devotissima do Padroeiro de todas as necessidades teve uma ideia original. Entra no quarto pobre, toma uma folha de papel e escreve uma carta a São José pedindo um emprego, um meio de ganhar a vida e sair daquela situação embaraçosa. Ingenuamente assina: Josefina de tal, residente em tal rua - bairro de Paris - costura, borda com perfeição.
Dobra a cartinha, amarra-a com uma fitinha, vai a uma gaiola onde trazia presa uma linda pomba, dependura-lhe o bilhete sob uma das asas, e solta-a dizendo: vai pombinha querida, vai para onde São José te mandar; hoje mesmo venha a resposta do céu. Era um gesto de ingénua e doce confiança no Patrono das causas mais desesperadas. E depois Josefina sentiu-se feliz e tranquila. Não invocara São José em vão. Poucas horas depois um carro pára defronte da porta da humilde mansarda.
Um senhor bem trajado e ainda jovem pergunta:
- Mora aqui a menina Josefina de tal?
- Sim, responde a jovem, sou eu mesma.
- Escreveu a menina este bilhete?
- Sim, e como o foi encontrar?
- Sob as asas de uma pomba que entrou no meu escritório e de lá não queria sair. Observei, trazia ela este bilhete, li-o e aqui estou. Sou devoto de São José. Resolvi abrir esta semana uma fábrica de roupas brancas e bordados. Faltava-me, porém, alguém para ensinar e dirigir as primeiras operárias. Pedi a São José que ma arranjasse. Providencialmente, entra-me a pombinha pelo escritório dentro, encontro este bilhete e venho a saber que aqui a menina Josefina e seus pais sofrem privações. Permita-me menina que lhe ofereça já uma quantia para solver os compromissos de que fala no bilhete, e quero desde já contratá-la para dirigir a minha oficina.
Os velhos pais choravam de alegria e da mais profunda gratidão.
- Como São José é bom! disseram todos juntos.
Em breve Josefina estava à frente das oficinas bastas, no centro de Paris.
O patrão pôs-se a observá-la e notou ser a jovem de fina educação, bondosa, modesta, rica de prendas.
E, de uma simpatia mútua chegaram ao noivado e ao casamento. Os negócios prosperaram. Voltaram os bons tempos de outrora. No lugar de honra do salão principal do palacete, foi colocada uma bela estátua de São José. E, aos pés da imagem, uma pombinha branca embalsamada, e em letras doiradas no pedestal : - "A mensageira de São José".


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...